Ayrton Senna em foco

DESTRUINDO PROTOCOLOS
por Rafael Ligeiro
São Paulo (BR), 22 Nov 2007

"O capacete oculta sentimentos incompreensíveis".

Ao longo de 11 temporadas na Fórmula-1, Ayrton Senna ficou famoso pelo talento inconfundível a bordo de um carro da categoria, mas também por suas declarações fora das pistas. Algumas inócuas, comuns. Tudo bem, pois até grandes pensadores também já proferiram, em idas e vindas de uma lingüística sofisticada, grandes besteiras. Porém, algumas afirmações deixadas pelo tricampeão soam como um convite a uma reflexão mais profunda. Aliás, esse é o caso da citada no início do texto. Observar os sentimentos de um piloto, de fato, é algo complicado para qualquer pessoa.

E a culpa não é unicamente do capacete. Atualmente, diversas categorias estão dominadas por pilotos artificiais, praticamente robotizados, que camuflam o jeito de ser por conta de clausulas contratuais e compromissos comerciais. Há colegas responsáveis pela cobertura de automobilismo que já me confidenciaram que não conhecem bem o jeitão de alguns pilotos apesar de compactuarem sala de imprensa e até mesa de jantar com esses profissionais das pistas. Imagine então como fica a situação para aquele sujeito que acompanha esporte a motor pela televisão, milhares de quilômetros do palco do Grande Prêmio?

Conhecer alguém costuma levar bom tempo - e sussurra por proximidade. Contudo, creio que o ingrediente que mais garante sucesso nessa receita é justamente algo que falta na maioria dos pilotos: sinceridade. Nesse sentido, ponto ao Alex Zanardi. Não posso afirmar que conheço-o bem, nem elevá-lo à condição de semideus. Mas em épocas que o automobilismo top passava a sofrer agudamente dessa artificialidade oriunda de uma ditadura comercial, o italiano foi exemplo "anti-hipocrisia". Não tinha medo de falar. Tampouco de agir. Prova disso é que, mesmo após levar multa de US$ 10 mil da diretoria da Champ Car por comemorar suas vitórias com cavalos-de-pau, continuou com a prática, inclusive após triunfo em corrida realizada sob chuva, em Elkhart Lake. "Tinha de fazer algo para entreter o público, que tomou chuva o dia inteiro", justificou Zanardi.

Automobilismo não é tudo. Mas ver piloto quebrar protocolo e mostrar sua cara... Ah, isso sim é demais! Portanto, tire o capacete, galera. E remova a máscara.